quinta-feira, 3 de abril de 2014

A história de voos e rasantes de uma heroína chamada Gaivota

A vida de Lauir Gonçalves Pereira, em Pérola, interior do Paraná, era de uma típica família de classe média.  O pai era cafeicultor, a mãe dona de casa. Ao se casar, com apenas 16 anos, a adolescente mudou-se para Campo Mourão, onde passou a oferecer aulas de teclado e órgão. A facilidade com que lidava com a música, levou-a ao sexto ano do curso de piano e proporcionou uma grande procura na cidade. Quando abriu a sua própria escola, mais de 70 alunos estavam matriculados. Ela mesma produzia as partituras, desenvolvia o material didático e criava um jornal para divulgar os acontecimentos do ambiente escolar.
Gaivota, como sempre foi conhecida, não era rica, mas tinha uma vida confortável. Era proprietária de duas casas, tinha carro e uma empregada responsável pelos serviços domésticos e pelo preparo das refeições. As coisas mudaram quando um exame de rotina detectou um adenoma na glândula hipófise e surgiu a dificuldade de obter tratamento pelo SUS, na rede de hospitais do Paraná. Nessa altura, o marido de Lauir havia se mudado para o Piauí, a trabalho, e ela soube que poderia ser mais fácil conseguir tratamento nos hospitais públicos de São Paulo. Ao vislumbrar tal oportunidade, a professora mudou-se com a filha para a capital paulista, com a promessa do marido de que bancaria o aluguel, água, luz e alimentação.

Mal chegou à cidade grande, Lauir descobriu, após o divórcio, que as coisas não eram como pensava e, acamada por sua enfermidade, não tinha condições de se locomover sozinha. Sua filha completava 16 anos e era quem a auxiliava nas tarefas mais simples. Para sobreviver, Danlary preparava chocolate e vendia nos bares. Nesse período, sua filha matriculou-se no curso de jornalismo da Mackenzie e a vida melhorava aos poucos. 

Se os planos não aconteceram como ela havia planejado, a casa caiu quando descobriu que o marido não estava enviando dinheiro para pagar o aluguel e elas foram despejadas. Lauir e sua filha, Danlary, dormiram alguns dias na rua, até que foram resgatadas por alguns membros de uma igreja evangélica que as receberam na garagem. Como elas se recusaram a participar dos cultos, já que eram de outra religião, foram expulsas do local e caminharam dois dias pelas ruas de São Paulo até que fossem acolhidas por um dos “chefes” do Morro da Kibon que se solidarizou com a situação e lhes ofereceu um barraco de madeirite. A vida era tranquila na favela. Não havia roubos, a porta não tinha nem maçaneta e eram respeitadas pela comunidade. Apaixonada por animais, diversos moradores levavam cães feridos para que Lauir cuidasse e, depois de alguns meses, as moças dividiam o único cômodo do barraco com cerca de 14 deles.

Um ano e meio após se mudaram para a Kibon, o homem que as havia ajudado pediu o barraco de volta e, mãe e filha, caíram de novo nas ruas. Naquele dia, queimaram tudo o que não podiam carregar e partiram com poucos pertences para a noite escura de São Paulo, acompanhadas por quatro cães que serviam como guardiões. “Nenhuma pessoa chegava a cinco metros de nós, sem que eu deixasse. Eu dormia com a corrente da coleira enrolada no meu braço. Se alguém se aproximasse, os cães nos avisavam.” – relata Lauir.

Era dura a vida nas ruas. Alguns dias, elas dormiam em postos de gasolina. Em outros, ocupavam casas interditadas. No restante, sobreviviam nas calçadas e contavam com a boa vontade dos paulistanos. “Nós não passávamos fome. Sempre tinha alguém para ajudar. Um dia, um homem não reparou que eu morava na rua e deu 25 quilos de ração para os cães. Eu nem tinha como carregar aquilo.” – conta Danlary.

Algo que causava grande preocupação nas moças era a higiene pessoal. Para evitar o acúmulo de sujeira e outros transtornos, Danlary abriu mão da vaidade e raspou os cabelos. Para se lavarem, a única opção era utilizar as pias de bares e restaurantes, onde faziam uma limpeza básica. Apesar de passarem por grandes provações e sobreviverem da maneira mais precária possível, elas jamais perderam a dignidade.

A compra de um guia turístico sinalizou a saída de São Paulo em busca de um destino menos adverso. Enquanto Danlary dava preferência ao litoral, Lauir lembrou-se do quanto seu pai era caridoso e optou pelo local onde ele havia nascido: Minas Gerais. Para isso, precisariam caminhar pela Fernão Dias, até Mairiporã, onde conheceram um “trecheiro” (nome dado às pessoas que caminham de cidade em cidade, por opção) e que indicou uma tal “Santa Rita do Cupuaçu” como boa opção para trabalhar na “panha” do café. “Eu tinha intenção de trabalhar na roça, local onde poderíamos viver com os nossos cães. A oportunidade que aquele homem nos mostrou, pareceu ser a melhor, no momento.” – lembra Gaivota.

Ao se aproximarem de Pouso Alegre, um caminhoneiro perguntou se elas queriam alguma coisa e elas pediram para dormir no baú do caminhão. O homem procurou conhecer um pouco da história daquela família e soube que elas procuravam uma Santa Rita que não tinha no mapa. “Não seria Sapucaí?” – perguntou o homem. Lauir disse que o trecheiro poderia ter se enganado e ele contou que havia nascido por aqui. “Vamos comigo. Levo vocês até lá.”

Ao desembarcar em Santa Rita, no dia 17 de abril de 2009, Lauir e sua filha foram até a pracinha da Rua da Pedra e pediram um lanche ao Zé do Trailer. “Ganhamos três lanches. Um para cada uma de nós e outro para os cães.” A mesma cordialidade não encontraram no albergue, já que a política era não aceitar mulheres. Não havia saída. Seria preciso dormir em um palco montado na praça.

Enquanto dormia no coreto, Lauir foi surpreendida, num dia frio, com a presença de um policial e de uma assistente social. “Venho da parte do meu superior pedir que vocês vão embora de Santa Rita. Ele mandou dizer que vocês não são bem-vindas aqui. O que a assistente social não contava era que Danlary era bem informada e respondeu no mesmo tom: “Não é porque estamos na rua que vocês estão lidando com pessoas ignorantes. Vivemos em um país democrático e temos o direito de ir e vir. Se vão nos prender, queremos saber qual é a acusação.” 

Algumas pessoas que passavam pelo local perceberam o movimento e tomaram as dores das moças. Para resolver o problema, cederam suas casas por alguns dias, até que elas conseguissem moradia. “Enquanto minha filha dormia dentro das casas eu ficava com os cães do lado de fora. Eles tinham nos acompanhado até ali. Não poderia abandoná-los naquele momento.” – relata Lauir.

De abril até novembro, as moças tinham uma casa alugada através de mobilização popular e viviam de bicos. No final do ano, Danlary conseguiu seu primeiro emprego na cidade, em uma videolocadora. Na mesma época, os Vicentinos ofereceram uma casa nas proximidades da Linear e tudo começou a dar certo. O pior passou.

Para levar sustento ao lar, Lauir tomou conta de uma senhora enferma por um ano e meio, trabalhou alguns meses na Fênix e vendeu doce de leite nas ruas, até aprender com os seus amigos – os moradores de rua – uma profissão que viria a desempenhar muito bem: a coleta e venda de materiais recicláveis. Atualmente, Gaivota pode ser vista na cidade com uma carrocinha onde carrega latinhas, garrafas pet, papelão e outros tipos de sucata. Com o dinheiro que arrecada, é possível pagar os exames de sua filha, grávida do segundo filho, e manter as contas em dia.

Sempre com um sorriso estampado no rosto, esta heroína sonha em conseguir um carrinho melhor para realizar seu trabalho e tem realizado os preparativos para a chegada do próximo neto. “Eu conto com a ajuda dos Vicentinos que me fornecem uma cesta básica e me mandam algumas frutas nos finais de semana. Minha filha retornou à faculdade, mas precisou abandoná-la porque não tivemos condições. É um sonho dela poder trabalhar no auxílio de pessoas carentes. Todas as semanas, vou à beira do rio e reencontro os amigos que ensinaram a minha profissão e com quem convivo até hoje. Para mim é uma honra tê-los conhecido e tenho orgulho da minha trajetória. Através das dificuldades, amadureci sem nunca perder a fé. Não tenho raiva, nem vergonha. Deus está sempre na frente da minha vida e acredito que muitas conquistas ainda estão por vir.” – finaliza Lauir.

(Carlos Romero Carneiro)

Oferecimento:

44 comentários:

  1. Parabéns Lauir pelo exemplo de superação. Tive o prazer de conhecê-la e sei que Deus está na sua frente preparando algo mais para vocês e que este novo anjo que está chegando traga muitas felicidades e nunca desista de seus sonhos.Felicidades! De seu amigo. João Roque e Família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Roque, eu que sou grata a Deus por ter colocado vocês em nosso caminho de uma forma tão especial. Tenho grande admiração por todos da sua casa. É muito bonito contemplar uma família que luta e vence com toda simplicidade.
      Ver e sentir o carinho de todos da sua casa é gratificante, me faz pensar: Deus age da forma que não esperamos não é mesmo? Este neto (a) chegando em meu lar já está trazendo sim muita felicidade e esperança para continuarmos remando, pois o nome de Deus tem que continuar sendo Glorificado.
      Abraço para todos.
      Fiquem com Deus rodeados de anjos sempre.

      Excluir
    2. PORQUE vc estando em SP para tratamento ,seu marido estava "trabalhando no Piauí" , houve divórcio ? Ele não foi para trabalhar ? Porque vcs se separaram ? o texto diz :
      (Mal chegou à cidade grande, Lauir descobriu, após o divórcio)e o tumôr vc operou ?? sarou ,como está ?

      Excluir
    3. Olá Anônimo, te convido a reler o texto e interpreta-lo com um pouco mais de atenção.
      Com relação as suas perguntas, terei o maior prazer em dar mais detalhes da minha vida e trajetória pessoal, desde que você se identifique, por favor.
      Ainda assim, agradeço a atenção e a curiosidade.
      Abraço.

      Excluir
  2. Caramba, que coisa, sempre vi essa moça onde o Toninho fica e sempre achei estranho ele sempre bem vestida mas catando descartes de reciclagem, cheguei até achar que tinha problemas mentais, veja que história mais linda de vida não tem vergonha e é feliz com Deus, poderíamos achar uma colocação para ela. Ela é professora de música vou dar um teclado simplesinho para ela comovente sua história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo, feliz de verdade com a surpresa em receber o teclado hoje após árduo dia de trabalho, confesso que fiquei tão emocionada e somente depois que você saiu lembrei que não perguntei seu nome. Se possível faça contato pessoalmente novamente ou pelo face. Deus abençoe.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  3. Ela da mesma forma que recebeu auxilio de outras pessoas, procura também ajudar os mais necessitados! Sou prova disso :) Super emocionante.

    ResponderExcluir
  4. As duas, da mesma forma que receberam auxilio quando precisavam, procuram ajudar também os mais necessitados. Sou prova disso :) Lição de vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Thereza Pereira Carneiro.
      Nossa trajetória aqui na vida terrestre se não for assim não faz sentido estarmos por aqui não é mesmo? Independente da situação que cada um nos vemos passando o amor e vontade de estender as mãos tem que ser incondicional. Pois nosso amor por Cristo só é verdadeiro se realmente amarmos o nosso próximo. É assim que meu Papai José ensinou, e na medida do possível que Deus permite vamos seguindo.

      Excluir
  5. UMA MULHER GUERREIRA,QUE APESAR DE TANTO SOFRIMENTO NUNCA DESISTIU.UMA VERDADEIRA LIÇÃO DE VIDA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula Leticia, Obrigada pelo carinho das suas palavras, você tb a sua maneira também é uma guerreira mulher forte, e sabemos que independente da situação somente a força divina para nos guiar. Estou muito feliz em conhecer sua família hoje, são felizes e divertidos. Parabéns! Ah e muito obrigada por sempre deixar eu tomar água lá no PS. Grande abraço.

      Excluir
  6. A HISTÓRIA DESSA GUERREIRA É UMA VERDADEIRA LIÇÃO DE VIDA.

    ResponderExcluir
  7. DEUS está a sua frente por isso nunca permita se sentir só!!!
    Parabénssss...DEUS esteja com vcs!!! Amém!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus abençoe pelas lindas palavras de ânimo.
      Vale a pena esperar por Deus não é mesmo? Seu tempo é sempre o melhor com certeza.
      Um grande abraço

      Excluir
  8. Parabéns pelo exemplo de Superação! Onde Deus se encontra presente tudo é possível! Basta Crer no Deus do Impossível! Sheine Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou pouco e disse tudo Sheine Alves.
      Mesmo quando não sentimos a presença de Deus, seu amoroso cuidado nos envolve.
      Forte abraço fica com Deus.

      Excluir
  9. Parabéns por esta história de Superação! Onde Deus se encontra presente o Impossível acontece!

    ResponderExcluir
  10. O pior é ver tanta gente saudável reclamando da vida! Deus nos apresenta pessoas como a Lauir para provar que nada é impossível para o que crê, tem ânimo e corre atrás de seus objetivos! Parabéns! Meu dia está muito melhor devido a essa história motivadora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nas adversidades aprendemos que somente a oração é o solo mais apropriado para o crescimento da nossa esperança. O tempo de Deus pode muitas vezes nos parecer mover-se lentamente mas pode ter certeza, move com segurança.
      Um forte abraço!

      Excluir
  11. Tudo isso é verdade eu estive presente e testemunhei muita coisa, MULHERES GUERREIRAS, exemplo de vida , vocês merecem ser muito felizes , saudades

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto tempo menino? Continua o mesmo especial, atencioso. Saudades tb. Verdade esteve presente em algumas situações que Deus nos permitiu atravessar em São Paulo. Mas fique tranquilo, tudo a cada dia que passa só tem nos fortalecido na presença de Deus.
      Forte abraço
      Lauir Gonçalves

      Excluir
  12. E Titiaa, certas pessoas sabiam da suas condições e nem flaram nada... mais me orgulho de ser sua sobrinha .... pois tbm o papai coletou recicláveis durante 2 a 3 anos aki ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida sobrinha Evellin, sim como você mencionou, certas pessoas da família sabiam. Mas não os culpo por se omitirem entendo o modo deles verem as coisas. Eu e a Danlary sabíamos que não seria nada fácil, mas tínhamos que seguir nossa jornada. Também tenho muito orgulho de vocês, seu pai e minha irmã sua mãe, sempre foram guerreiros, nunca mediram esforços para nenhum tipo de trabalho. Parabenizo pela família que formaram, minha irmã merece todo respeito e carinho, sempre foi persistente e vencedora. Os amo muito, beijo grande no seu coração.

      Excluir
  13. Simplesmente emocionante!!!!!!!!!!!!!!!!
    Coisas da vida!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Ufa! Graças a Deus um tempinho, obrigada pelo carinho e participação Erick Hirosh. Acredite estamos felizes, As adversidades só tem nos fortalecido.
    Forte abraço

    ResponderExcluir
  15. Iracy Gonçalves de Alvarenga.18 de abril 2014 17;55
    Sou a prima mais velha da sua mãe.Conheci seus pais aqui em Maringá onde moro.Fiquei triste,ao saber que uma prima,passou por tantas peripécias,mas ao tempo feliz porque o Nosso Bom Pai Celeste,nunca esqueceu de vocês.Continue confiando no Senhor.Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida prima Iracy, não tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente, sabemos muito bem que quando temos uma missão a ser cumprida nem sempre o caminho são só de alegrias. Mas acredito nas palavras do papai, homem de muita fé. Que para todas as coisas há um tempo determinado por Deus. Tempo de chorar de rir, de sofrer e de se alegrar com as vitórias. Agradeço a Deus por ter pessoas tão especias como você na nossa família que está sempre em oração e com palavras de ânimo na hora certa. Estamos sim sempre na presença de Deus, pois somente ele para reger todas as coisas e nos fortalecer. Fique com Deus rodeada de anjos sempre.

      Excluir
  16. vc é guerreira muitas coisa boas virão pode ter certeza,me emocionei demais.bjus amo vc prima.

    ResponderExcluir
  17. ME EMOCIONEI DEMAIS,CONTINUEM ASSIM VCS SÃO EXEMPLOS QUE TUDO TEM UM JEITO BASTA TER ESFORÇO E QUERER MUDAR,QUE ORGULHO!!!PARABÉNS DEUS ABENÇÕE MUITO VCS NESSA NOVA ETAPA DE SUAS VIDAS.BJUS AMO VCS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Surpresa e muito feliz com seu comentário prima Khatia. Também te amo muito, tenho sempre em mente todos os ótimos momentos em que passei com seus pais, saudades gigante, saúde os com A Paz De Deus. Nossa casa está de portas abertas para receber todos vocês.

      Excluir
  18. Fiquei muito emocionada com a história dessa minha prima, mas tambem pude sentir que o nosso Deus a amparou.E creio que agora será muito diferente né prima amada.Gente nós parentes não sabiamos de nada.Pelo menos eu e minha familia aqui de Maringá.Porque se soubessemos talvez ela não tivesse vivido essas experiencias.Mas eu creio que o Senhor vai abençoar todos os que a abençoaram.Muito obrigada a todos.Bjs Laiur,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marianne querida, realmente vocês não sabiam de nada, eu na verdade fui ter conhecimento do parentesco com vocês no face. Você sua mãe sua vó pelo que tenho tido a oportunidade de observar e acompanhar são pessoas íntegras e de coração nobre cheias de caridade. Mas tranquilize, sabemos muito bem que quando temos um caminho para atravessar seja bom ou ruim Deus nos mostra mesmo em meio as adversidades que o trabalhar é dele senão como teríamos vitória para contar? São esses momentos vividos que quando chegamos lá na frente, olhamos e falamos: como Deus é poder, pois somente com as forças dele chegamos ao ponto desejado de aprendizado com humildade e sabedoria. Obrigada pelo carinho forte abraço princesa, fique com Deus rodeada de anjos sempre. E como já falei para sua mãe, venham nos conhecer pessoalmente para juntas glorificarmos o Santo nome de Deus. Bjs

      Excluir
  19. Caros leitores, quando questionada nas ruas e em seguida ser convidada a contar um pouco da minha história até chegar aqui em Santa Rita do Sapucaí para o Jornal Empório de Notícias, fui bem espontânea em responder que não haveria problema algum, aceitaria sim ser entrevistada. Todos nós passamos por dificuldades, e achamos que nosso problema é o maior. Mas acredite, sempre tem alguém em algum lugar independente da situação, em desespero pensando a mesma coisa. Porque não compartilhar parte da minha trajetória? Muitos e longos anos de tristeza e solidão sem que ninguém soubesse, somente Deus e minha filha.
    Chegou o momento que a decisão tinha que ser tomada ficar parada ou seguir? Sabia muito bem os riscos, mas para meu recomeço tinha que passar por cima de várias discriminações e preconceitos. Fácil? Não. Sabia que seria difícil, mas tinha que recomeçar. Acredite, mesmo tendo a certeza da presença de Deus na minha vida sou humana, houve momentos de extremo desespero. Não estava sozinha, tinha que zelar por minha integridade e da minha filha.
    Hoje ainda algumas mulheres me questionam, valeu a pena deixar uma vida de conforto material para passar por tudo que passei e passo? Sim, valeu. Mesmo em meio à falta de conforto material, tenho o conforto espiritual, sinto paz, consigo sorrir e como sempre acreditei, todas as coisas que nos são necessárias no momento exato Deus provê em nossa caminhada terrestre. Estamos de passagem por aqui, não somos eternos, é uma jornada de aprendizado para o aperfeiçoamento espiritual. Isso sim que importa: a evolução.
    Como tem sido gostoso e gratificante receber o calor humano das pessoas quando ando pelas ruas. Chamam-me para dar um abraço, vocês que tem feito isso talvez não tem noção do quanto tem sido importante e revigorante, muitas vezes contenho as lágrimas de emoção boa. Isso sim é viver gostosamente.
    Deus é bom.

    ResponderExcluir
  20. fiquei muito mexido com sua estoria,vou muito a são paulo e vejo bem de perto o que vc passou junto a danlary;sempre soube o quanto vc e forte e de sua personalidadade. Deus nos cloca a prova todos os dias.so quero ver se seus cachorros vão deichar eu me aproximar de vc;vou ver aqui quando vc menos esperar apareço por aí pessoalmente.primeiro vou ver certo onde fica esse lugar.este ano ainda vou te ver pessoalmente,que Deus continue te iluminando e abençoando,ate br
    Guilherme Barcellos--Primavera do Leste-MT

    DEUS TE ABENÇOE










    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Misericórdia de Jesus! Este foi um comentário que me fez quase cair das pernas como diria uma grande amiga de Araruna-Pr. Guilherme Barcellos? Tem certeza? Olha, mesmo duvidando que seja você vou responder com muito esmero, carinho e saudades... Amigo maravilhoso que muitas coisas me fez ver. Um dia desses comentei com uma super pessoa amiga nossa em comum, creio saber de quem falo. Mencionei você. Mas vamos lá, Quando você aparecer por aqui vai ser interessante! Fique tranquilo quanto aos meus adoráveis cachorros, tem umas regras que te ensinarei para que eles também possam te receber com carinho. Mas como deu para perceber minha moradia hoje é muito diferente daqueles velhos tempos. Mas será muito bem vindo! Dá uma olhada no google mapa vai localizar com maior facilidade onde estamos morando. De São Paulo até aqui é rapidinho. Agradeço o carinho das palavras e contato. Deus te abençoe também. E Amém por tudo que me desejou em sua mensagem.

      Excluir
  21. Meu amigo, seu amigo...nosso amigo Eduardo me contou sobre voce. E nos aqui reclamando da vida de barriga cheia e sem um pingo de vergonha na cara. Voce abriu meus olhos, e devo confessar, que estavam fechados a muito tempo. A sua historia me comoveu muito e espero que a sua luta lhe traga o sucesso que voce merece nesta vida. Espero que a sua saude melhore e que os anjos te guardem com muito cuidado. espero um dia conhecer voce pessoalmente. Com respeito e carinho, Mike USA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mike, obrigada pelo carinho.
      Também espero conhecê-lo pessoalmente. Nosso amigo Eduardo fala muito bem de você. Posso ver que realmente és uma pessoa especial. Vou te contar uma coisa, hoje meu neto acordou com uma leve crise de bronquite, eu sem condições de pegá-lo no colo comecei a fazer massagens suaves nos pontos do seu corpo onde sei que suavizam essa fadiga. Vendo ele se acalmar comecei a pensar em como Deus é bom.
      Caro Mike, é natural quando estamos cansados da luta da vida, reclamarmos um pouquinho. Porém, melhor quando temos conhecimento de determinadas situações que nos fazem pensar em como Deus é bom e temos a oportunidade de seguir em frente.
      Nossa alma se beneficia tremendamente em deixar para trás pensamentos ansiosos e preencher nossos dias com louvor. Isso nos deixa felizes nos tira da escuridão e substitui nossas tristezas por alegrias.
      Deus é bom, magnífico! Mas sem ele nada somos nada temos.
      Fique com Deus rodeado de anjos hoje e sempre.
      Forte abraço
      Lauir Gonçalves

      Excluir
  22. Prezada Lauir Gonçalves:
    Mulher guerreira e batalhadora, mesmo diante de tantas dificuldades pelo que pude entender, nunca perdeu sobre tudo a fé em Deus, o sorriso e a alegria de viver, a vontade de ser feliz, o que eu posso lhe dizer de coração,é que Santa Rita de Cássia interceda por você junto a Jesus e lhes conceda as bênçãos do céu em sua vida a de sua filha e netos, vocês merecem a vitória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AMÉM!
      Isso é o que posso dizer quando venho aqui ler os comentários e todas as vezes tenho uma surpresa agradável. Como é bom absorver essas energias positivas de pessoas de grande fé.
      Podemos não saber o que o futuro nos reserva, mas podemos confiar naquele que tem o futuro em suas mão não é mesmo? A fé em Cristo nos manterá firmes no revolto mar.
      Obrigada pelo carinho das suas palavras.
      Grande abraço.

      Excluir
  23. Ola prima aqui e a Alessandra do tio Levi ,nunca imaginei que vc teria passado por tudo isto fiquei chocada pois só sabemos o que as pessoas comentavam, fico feliz que vc esta bem e lutando para melhor e tenho certeza que vai conseguir bjs grande vc mora em meu coração.

    ResponderExcluir
  24. Oi prima, lembro de você. Entendo a situação de todos vocês sobre saberem somente o que os outros comentavam. Acredito que para todos os parentes ler a real situação que eu e minha filha passamos contradiz muitas histórias, até mesmo de parentes que pra se safarem ajudavam com muitas invenções. Fico feliz em saber que ainda moro no seu coração. E mais, tínhamos que passar pelo caminho que passamos, era uma rota necessária, aprendi um outro jeito de viver para sobreviver e chegar no destino certo para recomeçar em paz, longe de tudo e de todos que fecharam as portas para escutarem a minha verdade. Nunca estive tão feliz e tão sem dinheiro. Mas estou maravilhada com os caminhos que Deus tem tomado e mostrado como ele age pelo seu Espirito Santo. Forte abraço prima, fique com Deus rodeada de anjos.

    ResponderExcluir