segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Um lorde inglês em Santa Rita do Sapucaí (Por Salatiel Correia)

Lembro-me como se fosse hoje daquele porte ereto, aquela voz pausada, aquele andar elegante. “Um típico lorde inglês”, assim bem definia um colega do qual só me recordo do eco da sua voz. Afinal, já faz bem uns 36 anos daquele seu comentário a respeito de nosso professor.
Bem me recordo que suas aulas aconteciam aos sábados, pois, durante a semana, estava ele envolvido com seu doutoramento lá na Unicamp, em Campinas. Vencia o personagem destes escritos os 220 quilômetros, toda a semana, da cidade de Carlos Gomes até Santa Rita para nos embevecer com sua sabedoria.

“Tomava banho pensando nas expressões matemáticas”, disse-me ele, certa vez, na época árdua da elaboração de sua tese. Tempos depois, passando eu próprio uma temporada lá em Campinas, encontrei-me, no restaurante da Unicamp, com o professor Dalton Soares Arantes, este, doutor pela Universidade norte-americana de Cornell. Dalton, que fora professor dele na pós-graduação, confidenciou-me algo que deveras me encheu de satisfação: “a tese dele foi a primeira a ser defendida a respeito do assunto telecomunicações no Brasil”. E acrescentou: “Trata-se de uma pessoa muito séria e determinada.” Eu já sabia disso. 

Anos mais tarde, tive notícias dele por meio de um amigo comum. Tinha ele se tornado diretor da Universidade Mackenzie. Foi reconhecido pela sociedade paulistana com o título de cidadão.

O lorde de que vos falo, e bem recordo com carinho, respeito e admiração, é o Doutor Adonias da Costa Silveira. Quem conhece sua trajetória de vida bem sabe que se trata de um vencedor. De origem humilde, estudou na ETE, foi diretor da escola, aluno e professor do INATEL e da UNIFEI por décadas. Doutor Adonias é, antes de tudo, um administrador nato, que ajudou a construir essa grande instituição que é reconhecidamente o INATEL.

Homem de Deus, religioso ao extremo, devotou sua vida a uma das atividades mais nobres do ser humano: formar gente. Ainda me lembro das suas antigas apostilas de circuitos transistorizados, quando mal se falava em circuitos integrados. Tempos atrás, fui fazer um curso de aprimoramento de inglês em Londres. Vagueando, no final da tarde, pelo bairro de Notting Hill, imortalizado pela atriz Julian Roberts em um belo filme, observava o ir e vir daqueles elegantes senhores, devidamente acompanhados de suas esposas com seus portes eretos, aqueles andares elegantes, com aquele inglês pausado e bem falado. Pronto. Logo me veio como um flash na memória a imagem do genuíno lorde.  Naquele momento, entendi o porquê, há 36 anos, já associavam aquela imagem ao querido professor Adonias, o Lorde do Vale da Eletrônica. Caro professor, não nos vemos há décadas. Vai daqui meu abraço fraterno de quem guarda de você uma boa recordação dos tempos em que a vida ainda nos permitia cultivar o dom da inocência.

(Salatiel Correia é Engenheiro, Administrador de Empresas e Mestre em Planejamento. É autor, entre outras obras, do livro A E-nergia na Região do Agronegócio)

Fale com o Salatiel: salatielcorreia1@hotmail.com

Um comentário:

  1. Lendo este lindo depoimento, não posso deixar de dizer: É VERDADE!!!

    ResponderExcluir